Oséias Jr.: a ovelha se tornou um pet

A pequena ovelha recém-nascida corria risco de vida quando foi adotada por Letícia e Ivan. Hoje, faz parte da família

- Publicidade -spot_imgspot_img

Quando falamos de animais de estimação, ou os pets, a primeira coisa que vem à mente são os cachorros e os gatos. Talvez você possa até pensar em um passarinho ou um hamster. Mas que tal uma ovelha? Para o casal Letícia Taís Bühring e Ivan José da Silva, essa é uma realidade.

Quem passa pela Rua Major Bandeira, no Bairro Languiru, em Teutônia, e vê a ovelha caminhando pelo pátio da casa fica curioso. Quem vê o casal passeando com ela na coleira, então, a curiosidade aumenta.

Mas é isso mesmo, a ovelha Oséias Jr. faz parte da família e, junto com o cachorro Thanos, é um dos pets da casa. Letícia conta que nunca passou pela cabeça do casal ter uma ovelha de estimação. O casal tem um escritório de arquitetura e imóveis e fazia uma visita a um cliente quando tudo começou.

Durante a visita, ficaram sabendo que haviam nascido duas ovelhinhas, e foram conferir os recém-nascidos. Foi quando perceberam que havia apenas um animal no local. Descobriram depois que a mãe dos pequenos havia rejeitado os filhotes e não tinha mais leite. Um deles acabou morrendo, já Oséias sobreviveu, porém, era muito pequeno e fraco.

Na tentativa de salvar a ovelha recém-nascida, Letícia levou ela para cuidar. Oséias chegou em casa dentro de uma caixa e Letícia o alimentou por meio de uma mamadeira, foi a primeira vez que ele comeu. “Aí ele [dono das ovelhas] disse ‘se sobreviver até domingo é teu’, e passou vários domingos”, lembra.

Oséias era muito pequeno, não conseguia andar e ainda não tinha sua pelagem. Por isso, no princípio ficava dentro de casa. “Do jeito que eu deixava ele no cantinho dele, ele ficava. Ele ficava em casa porque não tinha pelo e sentia muito frio”, relembra.

Logo depois, a mãe de Letícia deu para ele uma roupinha de cachorro. Aos poucos ele foi socializando, até com o cachorro. E assim, foi se tornando um dos bichinhos da casa. Conforme ele foi crescendo, ele foi indo para a parte de fora da casa.

Hoje, tem seu aprisco, o cantinho do Oséias, que fica na parte de trás da casa. Letícia não gosta de deixá-lo sozinho na frente pois tem medo que ele seja roubado. Apesar de comer outros alimentos, como folhas de bananeira, ele ainda é amamentado na mamadeira.

Na verdade, a ideia era devolver ele, porém, a família acabou se apegando. “E ele era muito pequeninho e a gente não conseguiu”, complementa. Ele chegaram a levá-lo de volta à fazenda onde o pegaram, e tentaram soltá-lo com as outras ovelhas. Mas não deu muito certo. “Ele ficava nos pés da gente, vindo atrás”, destaca.

E assim como todo pet, para ficar bem limpinho e cheiroso, Oséias Jr. frequenta o petshop para tomar seus banhos. Quando ele era menor, era mais tranquilo, hoje ele precisa da presença de Letícia. “Ele é muito apegado, se eu saio de perto ele começa a chorar, grita e quer sair do espaço. Eu tenho que estar junto, são 40 minutos que fico do lado. Ele tem mania de botar a cabeça debaixo do meu pescoço, daí ele fica quietinho”, conta.

A ovelha é muito apegada com Letícia. Onde ela vai, ele vai atrás. Mas também é muito amigável com os visitantes, deixando fazer aquele carinho.

Oséias e Thanos

Oséias não mora sozinho com Letícia e Ivan, ele tem que dividir a casa com o cachorro Thanos. O cão, assim como a ovelha, foi adotado. Foi abandonado, e o casal, ao ver a situação, o levou para casa.

No início, a relação dos dois foi bem amigável. Quando chegou em casa com a ovelha, Letícia logo o apresentou ao cachorro. “Nas primeiras mamadeiras, o Thanos sempre estava do lado, ele lambia ele, limpava, parecia uma mãe”, lembra.

Porém, com Oséias crescendo, a relação começou a ter alguns conflitos. Na intenção de brincar, a ovelha dá cabeçadas no cachorro, que não aceita muito bem a situação. “As brincadeiras são muito intensas, aí começam as brigas. Mas tem momentos que os dois começam a brincar, um corre atrás do outro, é uma função”, salienta.

Pela cidade

Letícia e Ivan fazem passeios com Oséias pela cidade. Com peiteira e tudo, ele sai como qualquer pet. E durante os passeios, claro, ele chama a atenção das pessoas. “Primeiro achavam que ele era um poodle, porque ele era branquinho e pequenininho”, comenta. Hoje, as pessoas veem de longe e ficam na dúvida, mas ao se aproximar confirmam que é uma ovelha.

Ele anda junto com o casal, como um cachorro. A peiteira, na verdade, é mais uma questão de segurança do que necessidade. “Porque ele se assusta muito, e temos medo dele sair correndo. Mas ele sempre caminha do ladinho”, revela.

Quando ele está na frente de casa, é a sensação das crianças. “Elas passam a mão, e ele aceita”, destaca.

No Instagram

Além de chamar a atenção pela cidade, Oséias também já está conhecido no Instagram. No perfil @oseias_jr_a_ovelha é possível acompanhar o dia a dia da ovelha pet. Vídeos e fotos contam a trajetória dele desde muito pequeno.

Segundo Letícia, a ideia surgiu a partir dos amigos, que insistiam para que ela criasse o perfil. “Eu dizia que não sabia mexer, eu tinha, mas com fotos esporádicas, nada controlado. Mas o pessoal dizia muito para eu fazer, aí fui lá e fiz”, conta.

Oséias Jr ainda toma a mamadeira / Crédito da foto: Paloma Griesang
- Publicidade -

MAIS

- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui