Candidatos a deputado defendem pautas para o Vale do Taquari

455
Candidatos inauguraram programação de painéis com candidatos a deputado / Crédito: Paola Possenatto

Na quarta-feira (31/8), a Rádio Popular realizou o primeiro painel com os candidatos a deputado estadual. A programação iniciou às 18h e se estendeu até as 20h30, no auditório do Grupo Popular. A estreia teve a participação de Jonatan Brönstrup (PSDB), Márcia Scherer (MDB), Rodrigo Conte (PSB) e Djalmo da Rosa (PSD). Eles responderam a 10 questões previamente encaminhadas, no tempo de 2min por questão para cada candidato.

Os candidatos apresentaram seus planos para o Vale do Taquari. Trataram sobre infraestrutura e turismo, meio ambiente, vale dos alimentos, vale do cooperativismo, indústria, comércio e serviços, segurança pública e educação. O debate foi mediado pelo jornalista Lucas Leandro Brune. A transmissão foi pela Rádio Popular FM e em vídeo pelo Facebook e YouTube. Confira, abaixo, os assuntos e posicionamentos dos primeiros candidatos.

Os 16 nomes com domicílio eleitoral no Vale do Taquari foram divididos por sorteio em quatro datas distintas. Nos dias 7, 14 e 28 de setembro estão previstos os demais candidatos a deputado estadual. Já os candidatos a deputado federal terão seu painel no dia 21 de setembro.

Na próxima quarta (7/9) participam Maneco Hassen (PT), José Scorsatto (PDT), Geci T. Mallmann (PTB) e Ubirajara Marques (Podemos).

Tipos de candidatura

Existem três tipos de candidatura: Contribuir para o partido; Fixar o nome para eleição municipal; Defender os interesses do Vale do Taquari. Em qual delas você se enquadra? Por quê?

Jonatan Brönstrup acredita que quem está na vida pública não pode andar sozinho. “O partido precisa estar aliado para construir a sua nominata junto à Assembleia e depois, obviamente, o candidato precisa conhecer a realidade da região”.

Rodrigo Conte pontua a necessidade de fazer diferença na vida das pessoas. “Seja como voluntário ou liderança. Não adianta estar na política e não mudar”.

Djalmo da Rosa destaca sua origem humilde e a busca por oportunidades para todos. “Eu venho de um bairro de classe bem baixa e eu vejo que nós ainda temos muitas barreiras. Quero ajudar o meu povo. Estou à disposição da comunidade”.

Márcia Scherer garante um compromisso com o Vale do Taquari. “Vou assumir esse compromisso com muito respeito, responsabilidade e consciência. Vou honrar o cargo”.

Concessão de rodovias

Rodrigo Conte diz ser favorável se realmente acontecer melhorias com um preço justo. “Se for para isentar as pessoas que estão próximas ao pedágio e seguir o edital de forma rápida, sou a favor”.

Djalmo da Rosa se coloca favorável desde que haja assistência. “Cobram pedágio mas as condições dos asfaltos na região são horríveis. Se houver ajuda, sou a favor”.

Márcia Scherer alega ser inevitável a presença do pedágio. No entanto, ela menciona a justiça do mesmo. Nos moldes atuais, a candidata é contrária. “O modelo proposto não é adequado. Foi uma boa a suspensão do edital”.

Jonatan Brönstrup sinaliza a demanda da concessão, mas, ao mesmo tempo, a necessidade de mais tempo para discutir a proposta. “Por isso é importante termos representatividade na Assembleia Legislativa, para garantir que a nossa voz seja atendida dentro de um futuro edital a ser publicado”.

Operação do Porto Multimodal de Estrela

Djalmo da Rosa parabeniza o município pela reativação. “O Vale só tem a crescer”.

Márcia Scherer assinala a carência de um olhar regional. “Precisamos de mobilização regional para que Estrela não lute sozinha. É importante para todo o Vale do Taquari”.

Jonatan Brönstrup enfatiza a importância de ser uma batalha assumida também por outros municípios. “Precisamos ter representatividade para garantir o desenvolvimento”.

Rodrigo Conte salienta que o Porto é de todas as regiões, não só do Vale do Taquari. “O Estado precisa facilitar para que a iniciativa privada também tome algumas ações e consiga fazer investimentos”.

Licenças ambientais junto à Fepam

Márcia Scherer explica que Conselho Estadual do Meio Ambiente aprovou o sistema Licenciamento Ambiental por Compromisso. “Isso deve agilizar de uma maneira muito eficiente”.

Jonatan Brönstrup sublinha avanços desde 2019. “Precisamos e podemos avançar ainda mais. É uma questão de construir uma relação de confiança com o empresário e produtor, para que eles sejam respeitados pelo Estado”.

Rodrigo Conte realça a precisão de regulação. “Precisamos cobrar avanços no que o Estado oferece para a Fepam. Falta mão de obra e tecnologia”.

Djalmo da Rosa entende a falta de funcionários. “Falta gente para trabalhar. Sugiro mais concursos, mais oportunidades. Beneficia o serviço e a comunidade empregada”.

Vale dos alimentos

Jonatan Brönstrup aprova defender a produção local. “Penso em criar programas de incentivo e fomento. Proporcionar mais tecnologias para ampliar ainda mais o mercado”.

Rodrigo Conte indica a busca por facilidades na legislação para a área. “Temos que criar marcas, selos e eventos para valorizar o que é produzido aqui”.

Djalmo da Rosa sugere uma fiscalização mais flexível. “Precisam fiscalizar sim, mas não somente fechar. As vezes só falta mais orientação para o produtor se adequar”.

Márcia Scherer foca nas agroindústrias familiares. “Precisamos dar mais visibilidade. As feiras promovidas por municípios são muito importantes. Queremos criar mais projetos nesse sentido e auxiliar em uma fiscalização mais sensível”.

Vale do cooperativismo

Rodrigo Conte propõe iniciativas nas escolas. “Os jovens precisam entender a importância do sistema”.

Djalmo da Rosa pede união de deputados. “Pensar no crescimento do estado juntos”.

Márcia Scherer levanta um olhar mais carinhoso para as cooperativas. “Elas representam contextos sociais. Nos comprometemos em ampliar as áreas de atuação”.

Jonatan Brönstrup ratifica a continuidade nas cooperativas escolares e a diminuição de impostos para a categoria. “Temos que fomentar cada vez mais o sistema de integração; de soluções inteligentes para demandas comuns. Lutar por legislações justas”.

Indústria, comércio e serviços

Djalmo da Rosa assevera falta de funcionários nas repartições. “Os empresários enfrentam muita demora quando necessitam de documentações. Mais funcionários é mais agilidade para o setor”.

Márcia Scherer alega a qualidade do serviço no estado, mas diz poder mais. “Entendo que sim, com pessoas qualificadas, bem remuneradas, em uma estrutura de trabalho adequado, é possível prestar um serviço com ainda mais excelência”.

Jonatan Brönstrup reconhece a obrigação de acreditar no empresário. “Precisamos confiar. Quem quer investir precisa ter a condição adequada para fazer o negócio funcionar. Sentir a segurança”.

Rodrigo Conte aponta a reforma tributária como um dos caminhos. “Não entendemos como isso não aconteceu ainda. Precisamos incentivar para que novas pessoas possam empreender e gerar emprego também”.

Segurança pública

Márcia Scherer realça a prevenção primária. “Prevenir dentro das escolas. Isso evita um crescimento desacompanhado”.

Jonatan Brönstrup endossa a cobrança de uma quantidade maior de policiais a disposição da comunidade. “Esse é o papel de um parlamentar. Quero garantir mais segurança no município onde a vida acontece”.

Rodrigo Conte expõe a demanda de integração regional. “Não adianta um município ter um trabalho fantástico se os municípios vizinhos não conseguem conter a criminalidade”.

Djalmo da Rosa diz que a segurança inicia pela educação. “Educar a periferia, os bairros menos favorecidos. Se esses moradores estiverem educados, eles terão oportunidades de empregos e não darão trabalho para a segurança”.

Escola de Formação de Soldados da Brigada Militar

Jonatan Brönstrup se empenhará para garantir o investimento. “E também para, posteriormente, garantir a permanência de boa parte do efetivo nos municípios da nossa região”.

Rodrigo Conte aproveitou a questão e citou a importância de manter algumas profissões. “Precisamos despertar nos jovens o desejo de seguir algumas profissões que são essenciais. Esse projeto também tem que ser discutido para outras profissões”.

Djalmo da Rosa gostaria que Lajeado também tivesse um educandário no formato. “Já teve nos anos 90. Não sei porque não se manteve. Tendo uma escola assim, já é um sinal de respeito. A comunidade passar a olhar com outros olhos”.

Márcia Scherer acentua o ganho regional. “A tendência é que esse soldado ou soldada fique aqui, crie laços e queira trabalhar na região. Queremos assumir o compromisso de tentar viabilizar a proposta”.

Educação

Rodrigo Conte salienta a formação na escola. “Não podemos falar de qualidade se não pensarmos como e onde a educação começa. Precisamos melhorar a infraestrutura nas escolas, valorizar os professores e disponibilizar o acesso as tecnologias. O Estado precisa despertar para isso”.
Djalmo da Rosa pede mais acesso aos munícipes de baixa renda. “A Univates poderia ter facilidades. O morador precisa sair do município para poder estudar em um lugar mais acessível e nem sempre com a mesma qualidade”.

Márcia Scherer releva que tanto quanto inaugurar obras é necessário inaugurar gente. “Eu percebo que tem quem quer trabalhar, que quer se formar e do outro lado tem quem quer empregar. Falta esse encontro. Quero ser essa ponte. Oportunizar oportunidades”.

Jonatan Brönstrup acentua a emergência de garantir harmonia entre empresas, instituições de ensino e pessoas que buscam qualificação. “Temos que apontar um rumo. Mostrar quais são as nossas virtudes”.

Assista ao Painel Popular Eleições 2022

- publicidade -