Tecnologia e inovação encerram a Assembleia de Verão da Famurs

342
Crédito: Paloma Cristine Griesang

Inovação, tecnologia, dados e ecossistemas de inovação foram destaque na última tarde da Assembleia de Verão da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs). A tarde iniciou com a apresentação do Parque Tecnológico de Itaipu. O momento foi conduzido por Eduardo Castanheira Garrido Alves, diretor-superintendente do PTI.

O parque busca ser um ecossistema que procura desenvolver ciência, tecnologia e inovação. O PTI começou a trabalhar com projetos de smart cities (cidades inteligente) em 2019, quando tecnologias começaram a ser testadas em ambiente controlado. Depois, surgiu o programa que aplica essas tecnologias em um bairro de Foz do Iguaçu. A partir disso, o parque passou a lançar editais para atrair startup e empresas disposta a aplicar suas tecnologias neste local. “Antes a gente comprava as tecnologias. Hoje, essas empresas disponibilizam seus recursos para serem testados e validados”, explica.

As tecnologias testadas e aprovadas recebem um selo e um certificado. Segundo Alves, isso beneficia as empresas que tem um selo confirmado que seu produto está ok para venda e uso, e também os gestores públicos que sabem que o que estão comprando é algo comprovado, que passou por etapas de testes. “Algo positivo para todos”, pontua.

Após a palestra, foi assinado termo de cooperação entre a Famurs e o PTI para uma agenda de imersões em smart cities. Segundo Alves, isso permite expandir as tecnologias testadas nos parque às prefeituras, segundo ele, na intenção de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Após este momento, também foi apresentado o Observatório Assespro. A Assespro é uma entidade associativa que agrega empresas de tecnologia da informação. O Observatório é um projeto que será oficialmente lançado no South Summit. Trata-se de uma plataforma que agregará e disponibilizará dados sobre o setor de tecnologia da informação. Para os gestores dados importante que permitem atrair investimentos destas empresas.

O uso do Metaverso também foi abordado, por meio do case da prefeitura de Panambi. O prefeito da cidade, Daniel Hinnah, falou sobre a experiência. Ele contou que o município formou um instituto de inovação, do qual a prefeitura participa, e assim aproxima parceiros. Ele reforçou que o Metaverso já é uma realidade, e os prefeitos precisam pensar nisso.

O CEO da Meta4Chain, Leandro Nascimento, explicou a criação do Meta4Gov que desenvolve tecnologias específicas de metaverso para o setor público. Segundo ele, Metaverso não é coisa do futuro, mas algo que já está acontecendo. O software Meta4Gov será lançado oficialmente no South Summit. O CEO da Meta4Gov, Cláudio Soares, apresentou melhor o sistema. Ele trouxe ainda outros exemplos de uso do Metaverso no Brasil e no mundo.

- publicidade -