Empresários de Estrela recebem apoio do Promove

Programa Municipal de Orientação e Valorização das Empresas no município (Promove) saiu às ruas para realizar consultas diretas com empresários

709
Equipe do Promove visitou aleatoriamente alguns comerciantes do Centro/Crédito da foto: Rodrigo Angeli/Divulgação

Antes de tudo buscar entender as dificuldades, identificar problemas e dar orientações quanto a soluções para os empresários evitarem multas e facilitar futuros investimentos. Estes são uns dos principais focos do Programa Municipal de Orientação e Valorização das Empresas de Estrela (Promove). Nesta sexta-feira (23), a equipe do programa, ligada ao Setor de Fiscalização da Secretaria Municipal da Fazenda e Sala de Apoio às Empresas, realizou mais uma das suas ações diretas junto ao público alvo.

- publicidade -

Sem roteiro definido, a equipe do Promove, que estava identificada, foi às ruas com a intenção de divulgar o programa e realizar as primeiras consultas. Entre os principais objetivos está o de dar suporte gratuito para atender as necessidades legais dos proprietários de lojas, indústrias e demais setores comerciais, inclusive da área alimentícia. Regina Gatelli é gerente de uma das empresas visitadas. A loja de roupas e acessórios, no Centro, foi adquirida pela lajeadense em março. “É minha primeira experiência no ramo, por isso não tinha uma ideia se o que está me sendo exigido é muito ou pouco, ainda mais que sou de Lajeado. Mas tivemos um pouco de dificuldades para conseguir uma das licenças”, revelou. “Por isso, até por ser minha primeira experiência, acho importante este contato para que a gente tenha noção do que ainda precisa, pois não são coisas de nossa rotina”, destacou Regina, já de posse do novo alvará permanente. Ela recebeu do Promove a orientação para afixá-lo em lugar visível. “Na verdade já estava até providenciando um quadro para isso.”

Conforme adiantou o secretário do Fazenda, Henrique Lagemann, o que se quer com o Promove é derrubar aquela errada questão cultural de que quem fiscaliza apenas penaliza. “O programa vem justamente tentar compreender e atender às demandas, dar suporte quanto às dúvidas e dificuldades dos investidores para que, depois, não sejam vítimas da fiscalização, que também é necessária para o bem de todos, como ainda disponham de melhores condições legais na busca de investimentos”, reitera.

Fonte: AI Estrela

- publicidade -