Cooperativa teutoniense de aprendizes é a primeira do Brasil

Estudantes realizam assembleias e apresentam relatório da gestão

1078
Estudantes e parceiros do programa Aprendiz Cooperativo no Campo no encerramento da assembleia da Cooperativa Escolar de Aprendizagem Teutônia: momento de aprendizagem na prática/Crédito da foto: Leandro Augusto Hamester/Divulgação

“Vivemos um momento muito significativo e estamos fechando um ciclo. Foi uma oportunidade diferenciada de aprendizado e queremos ouvir falar muito da cooperativa escolar que construímos juntos. Estamos orgulhosos pelo trabalho realizado e, com certeza, todos nós vamos colher frutos dessa experiência única de constituir uma cooperativa de estudantes.” As palavras são da emocionada primeira presidente da Cooperativa Escolar de Aprendizagem Teutônia (COOPEAT), formada e gerenciada pelos estudantes do programa Aprendiz Cooperativo no Campo, Letícia Diesel da Costa (16).

- publicidade -

No dia 07 de julho a cooperativa escolar, composta por aprendizes cotizados pela Cooperativa Languiru, realizou assembleias gerais extraordinária (AGE) e ordinária (AGO). O evento ocorreu no Auditório Central do Colégio Teutônia e reuniu os aprendizes associados, estudantes, pais, professores, representantes das cooperativas Languiru e Sicredi Ouro Branco e da Prefeitura de Teutônia.

Seguindo todas as formalidades de uma assembleia de cooperativa tradicional, após composta a mesa de trabalhos, foram lidas a ata da assembleia anterior e o edital, seguindo com reforma e aprovação do Estatuto Social, adequando-o à realidade da cooperativa, apresentação do relatório da gestão do último exercício (relatório social, relatório financeiro e demonstrativo das sobras), leitura do parecer do Conselho Fiscal, destinação das sobras e assuntos de interesse do quadro social. Todas as deliberações foram aprovadas por unanimidade de votos.

Desempenho

As assembleias foram conduzidas pelos integrantes da diretoria da COOPEAT. Após apresentação de breve histórico e das atividades desenvolvidas ao longo do ano, o relatório financeiro destacou entradas e saídas no período de abril de 2016 a junho de 2017, cujo saldo final do livro caixa contabilizou R$ 3.528,14. Desse valor, a assembleia deliberou quanto à destinação das sobras, que aprovou 10% para o Fundo de Reserva, destinado a reparar eventuais perdas e prejuízos da cooperativa escolar; 10% para o Fundo Rotativo, destinado a promover o desenvolvimento da sociedade; e 80% para o Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social (FATES), destinado à prestação de serviços aos associados e desenvolvimento das atividades sociais, educacionais, desportivas, culturais e recreativas.

A primeira-tesoureira, Ana Letícia Schmitz Züg, e a segunda-tesoureira, Bruna Letícia Pech, conduziram a prestação de contas e a definição quanto à destinação das sobras. “Muito do que aprendemos na teoria conseguimos colocar em prática na manutenção e gestão da cooperativa escolar. Produzimos as hortaliças que vendemos, calculamos o custo de produção de nossos produtos e trabalhamos com uma margem de lucro desejada, aprendemos a trabalhar em equipe, fizemos gestão de recursos produtivos, financeiros e de pessoas, e nos divertimos também”, avaliaram.

A partir do resultado positivo, os associados definem em reunião a aplicação das sobras disponíveis. A ideia inicial prevê a realização de viagem do grupo de aprendizes.

- publicidade -