1berto e A Revolta dos Dândis

Gessinger se apresentou no Teatro Univates nesta quinta-feira, dia 17

923
Cantor apresentou grandes clássicos de sua carreira com a turnê “Desde Aquele Dia - 30 anos de A Revolta dos Dândis”/Crédito da foto: Artur Dullius/Divulgação

Bastaram duas músicas para que as palmas passassem a fazer parte do show de Humberto Gessinger no Teatro Univates, realizado na noite desta quinta-feira, dia 17. No palco, o cantor, apresentou grandes clássicos de sua carreira com a turnê “Desde Aquele Dia – 30 anos de A Revolta dos Dândis”. Considerado um dos maiores ícones do rock, Gessinger relembrou aquele que foi um dos maiores sucessos da banda Engenheiro do Hawaii, o álbum “A Revolta dos Dândis”, que foi executado na íntegra.

Lançado em 1987, o álbum, que representa um marco para rock brasileiro, inclui clássicos como “Infinita Highway”, “Terra de Gigantes” e “Refrão de Bolero”, bem como as canções Guardas da Fronteira e Filmes de Guerra, Canções de Amor, raramente executadas ao vivo nas últimas três décadas. O repertório, assim como já era de se esperar, emocionou o público, que cantava junto.

A admiração dos lajeadenses Henrique Hauenstein e Priscila Braz por Gessinger iniciou justamente com os hits da banda Engenheiros do Hawaii e se fortaleceu agora. “Mesmo fazendo carreira solo ele mantém o nível das canções”, garante Hauenstein. Para o casal, o artista foi um dos grandes responsáveis por levar o nome do rock gaúcho para fora do estado. “Além de ser um dos pioneiros do rock aqui, ele também abriu portas para as gerações que surgiram depois dele”, diz Priscila.

A noite ainda deu espaço para o EP “Desde Aquela Noite”, recém-lançado pelo artista. Momento em que as faixas  “Alexandria” , gravada com Tiago Iorc; “O Que Você Faz à Noite” com Dé, do Barão Vermelho e “Olhos Abertos”, com Capital Inicial ganharam voz na versão de Gessinger.

Agenda Cultural

O grupo de teatro da Univates estreia, no dia 5 de setembro, a peça O Jardim. O espetáculo ocorre a partir das 20h, no Teatro Univates.  Na ocasião, o público, de forma gratuita, poderá conferir uma representação da dura e contínua realidade presente em países com a Síria, Jerusalém, Venezuela, Palestina ou nas favelas do próprio Brasil.

Com 65 minutos de duração a peça retrata a história de pessoas de uma pequena cidade que, diante do caos criado por um conflito armado, transformam sua realidade e dentro de um pequeno jardim discutem as mazelas de suas pobres vidas, sufocados pela fumaça e pelo barulho das bombas. Mais informações podem ser conferidas pelo telefone (51) 3714-7000, ramal 5944, ou pelo e-mail [email protected]

- publicidade -