Desfile de Moda Inclusiva da Univates utiliza o vestuário como instrumento de inclusão 

O evento ocorreu na noite de quarta-feira

1484

Inclusão. Foi com esse propósito que na noite da quarta-feira (23/08), foi realizada pela Univates a segunda edição do Desfile de Moda Inclusiva. No palco do Teatro Univates desfilaram 31 modelos com e sem deficiência. Na edição deste ano, o evento desafiou seis diplomadas do curso de Design de Moda a elaborarem peças de roupas que proporcionassem a inclusão de pessoas com deficiência. Porém, o objetivo das coleções não foi apenas trazer a beleza, mas acima de tudo propiciar bem-estar, independência e funcionalidade no dia a dia das pessoas. O momento também foi realizado em comemoração à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência.

- publicidade -

Uma das modelos da noite, Suzana da Costa, deficiente visual, ressaltou a importância de participar de eventos de inclusão. “É muito bom para a gente que é portador de necessidade especial poder participar de eventos assim. Eu já desfilei na primeira edição, então, participar hoje é um orgulho”, afirma. Para Susana, eventos como esse são importantes para mostrar para toda a sociedade que a pessoa com deficiência, seja ela qual for, deve ser respeitada. “Eu sou natural do Paraná, e lá as pessoas não sabiam como lidar com um deficiente visual, no meu caso. Eu entrava nas lojas e as atendentes não sabiam como me ajudar. Depois que eu cheguei em Lajeado, as coisas mudaram para melhor. Hoje eu vou na loja e as vendedoras já sabem me ajudar, sabem até que tipo de roupa de que eu gosto. Ainda pode melhorar, as roupas já poderiam ter uma etiqueta em braile”.

Já Orlei da Costa, que é marido de Suzana e também deficiente visual, manifesta seu orgulho de sua esposa. “Para mim é muito satisfatório vê-la feliz. Como toda mulher, ela gosta de se vestir bem, então, ela se sente muito contente quando tem a oportunidade de participar de eventos como o Desfile de Moda”. Além de estar presente na atividade como acompanhante de Susana, da Costa também estava representando a Associação dos Deficientes de Lajeado (Adefil), da qual é presidente. “Eventos como esse possuem uma importância muito grande no âmbito da inclusão em Lajeado, e nós da Adefil ficamos muito agradecidos à Univates por abrir suas portas para as pessoas com deficiência”, ressalta.

Além do desfile, a noite teve outros dois momentos especiais: a apresentação de integrantes da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Estrela e o monólogo Ícaro, interpretado pelo ator gaúcho Luciano Mallmann, que em 2004, após cair durante uma acrobacia em tecido, sofreu uma lesão na medula e tornou-se cadeirante. Na apresentação, ele relata suas experiências e as de pessoas usuárias de cadeira de rodas. Durante o espetáculo, interpretou diferentes personagens abordando assuntos como o relacionamento entre pais e filhos, resiliência, relações amorosas, suicídio, preconceito e maternidade. Luciano prendeu a atenção de todos durante sua apresentação. A identificação do público com as histórias narradas por ele foi imediata, mesmo para quem não tem nenhuma deficiência.

- publicidade -