IV Campanha Municipal para o Mês da Pessoa com Deficiência conscientiza para uma sociedade mais inclusiva

769
Grupo 'Amigos Unidos' se reúne quinzenalmente para atividades no CRAS

Agosto: um mês para refletir, se conscientizar e lutar por uma sociedade mais inclusiva. Estamos na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e/ou Múltipla, celebrada do dia 21 ao dia 28. Para marcar a data, o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Westfália promove a IV Campanha Municipal para o Mês da Pessoa com Deficiência.

Hoje, munícipes com deficiências estão incluídos em diversos grupos de Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), conforme a faixa etária, respeitando as atuais normas. Conforme a assistente social Deise Herberts, a medida consolida a inclusão desse público na sociedade, possibilita o fortalecimento da função protetiva das famílias e o acesso a direitos.

No entanto, pelo vínculo já estabelecido entre os usuários, o SCFV – Pessoa com Deficiência, conhecido como o Grupo Amigos Unidos, ainda é mantido. “O grupo já vem de muitos anos e, por isso, optamos em não separá-los. Mas, mesmo assim, possibilitamos diversas atividades de integração com outros grupos, visando a interação social dos mesmos”, observa Deise, que é a técnica responsável pelo grupo, junto às orientadoras sociais Claudete Kunzler Beckenbach e Fabieli Wasem Magedanz.

Ações da IV Campanha Municipal para o Mês da Pessoa com Deficiência

Neste mês, diversas ações são promovidas para usuários dos SCFV – Pessoa com Deficiência – e seus familiares. São ações simples, que aproximam pessoas e tornam o mundo melhor, conscientizando com respeito às diferenças.

Além das ações já desempenhadas pelo CRAS desde o início de agosto, ainda integram o cronograma: atividade diferenciada de Informática no Telecentro (dia 25 de agosto); palestra e atividade com a psiquiatra Michele Valent, voltada às pessoas com deficiência e seus familiares (dia 26 de agosto); e dia da beleza e momento surpresa (dia 30 de agosto).

Possibilidades para os PcD’s

Hoje, existem diversas possibilidades para os PcD’s. “Encaminhamos para o mercado de trabalho, numa parceria com o Programa Jovem Aprendiz, direcionado a pessoas com deficiências; incluímos nos grupos conforme a faixa etária, quando também aprendemos muito com eles; acompanhamos, por meio de visitas domiciliares, aqueles cuja deficiência cause a impossibilidade de participar dos grupos no CRAS, de modo a contemplar suas necessidades e garantir seus direitos; também cuidamos de quem cuida, através do grupo de cuidadores (familiares e responsáveis), coordenado por mim e pela psicopedagoga Fabiana Christ, que se reúne trimestralmente, possibilitando um momento de trocas entre e com as famílias”, salienta Deise Herberts.

O trabalho realizado pelo CRAS vai além de atender as necessidades das pessoas com deficiência. “Prevê, principalmente, a integração, a aceitação, o respeito e o reconhecimento das mesmas como pessoas de direitos, diferentes, mas com capacidades, sonhos, desejos e muita vontade de serem vistos com as potencialidades que possuem”, pontua a assistente social.

- publicidade -