Estrela Multifeira: O agronegócio brasileiro e temas centrais do setor pautam palestra do ex-ministro da agricultura Roberto Rodrigues

242
Roberto Rodrigues abordou as perspectivas do agronegócio brasileiro / Crédito da foto: Frederico Sehn / Divulgação

“O herói brasileiro é o agricultor. A sociedade tem que entender isso”. A afirmação do agrônomo e ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, foi uma das muitas reflexões provocadas por ele nas cerca de 300 pessoas que participaram do Dia do Empreendedor Rural nesta quinta-feira (dia 05/09) na Estrela Multifeira. Na palestra “Perspectivas do agronegócio brasileiro”, ele abordou temas centrais que envolvem o setor no país, abrindo sua explanação com o alerta para a falta de líderes, especialmente por estarmos vivendo uma transformação do mundo rural em urbano, cujas medidas extraordinárias e assustadoras exigem referências a serem seguidas.

De acordo com o ex-ministro, a segurança alimentar tem recebido atenção do mundo todo, especialmente da ONU, visto que estimativas apontam para um crescimento de aproximadamente 60% na demanda por alimentos nos próximos 50 anos e enquanto houver fome, não haverá paz. Projetando um período menor, pesquisas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USA) indicam que Brasil precisa ampliar sua produção em 41% dentro de dez anos. Para Rodrigues, isso é possível graças à mão de obra competente, quantidade de terra disponível e tecnologia nacional.

Ele reiterou que o agronegócio brasileiro é brilhante, representando 21% do PIB do país, 42% das exportações e gerando 20% dos empregos, porém são necessárias estratégias de renda, comércio e logística, além de um trabalho intenso para mudar a imagem errônea sobre desmatamento e consumo de veneno. Para o ex-ministro, o ponto-chave do setor está na comunicação e na sustentabilidade, a qual é a base da competitividade: “Se não formos sustentáveis econômica, social e ambientalmente, não vamos vender produção lá fora e vamos perder mercado”.

Ao apresentar dados de exportação, Rodrigues preveniu: “Não podemos ficar deitados em berço esplêndido porque fizemos conquistas maravilhosas nos últimos 30 anos, pois os outros fizeram mais do que nós”.  Ele ainda falou sobre a guerra entre Estados Unidos e China pela hegemonia na produção agrícola, o que levou ao ressurgimento do protecionismo e consequentemente ao acordo entre Europa e Mercosul, tática política justificada pela busca de comida mais barata e permanência no poder.

Rodrigues também destacou que a agronomia brasileira tem uma história espetacular de desenvolvimento, muito em consequência da qualificação dos empreendedores mais jovens, e que no futuro o cooperativismo vai ganhar ainda mais dimensão, pois será uma importante ferramenta para agregar renda e ganhar escala. “Nós temos um valor incomensurável e podemos ser campeões mundiais da paz. Contem comigo. Eu quero ser campeão. Quem não quer. Vamos nessa? Vale apena!”, finalizou.

A programação ainda contou com um bate-papo do palestrante com os presidentes do: sistema Ocergs/Sescoop-RS Vergílio Perius, da Sicredi Ouro Branco Neori Abel,da Dália Alimentos Gilberto Piccinini, e da Certel Erineo José Hennemann, além do presidente executivo da Dália Carlos Alberto de Figueiredo Freitas e gerente regional da Emater Marcelo Brandoli. O Dia do Empreendedor Rural foi viabilizado pelo Sescoop-RS e teve o apoio da Prefeitura de Estrela, Emater, STR, Sicredi, Dália e Languiru.

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui