1º Sing Abend: uma noite para evidenciar o canto coral em Westfália

136
Crédito: Paloma Driemeyer Valandro / Divulgação

Com o intuito de valorizar o canto coral e aumentar o interesse e o conhecimento da comunidade a respeito desta arte, a Associação Cultural Westfaliana promoveu na noite de sexta-feira (04/10), o 1º Sing Abend. Tendo por local o Centro Comunitário de Linha Frank, a programação reuniu mais de 200 pessoas, as quais puderam prestigiar uma noite histórica e especial, de valorização cultural, de amizade e de integração.

Na chegada, a comunidade westfaliana e visitante foi recepcionada por Eduardo Lagemann no saxofone, além de receber um carinhoso abraço da rainha Natália Spellmeier e da 1ª princesa Taís Pott Rückert. Após, marcando a abertura do 1º Sing Abend, a westfaliana Doralice Schröer Horst, entoou o Hino de Westfália na Língua Westfaliana Brasileira (popularmente conhecida como Sapato de Pau).

Abrindo o momento de pronunciamentos, as soberanas presentes deixaram suas mensagens à comunidade westfaliana e, de forma especial, àqueles que investem no canto coral. “Para nós, é uma grande alegria fazer parte deste importante evento cultural. O canto coral nos representa e hoje é uma noite para valorizar esta cultura”, enalteceram Natália e Taís.

A presidente da Associação Cultural Westfaliana, Mariani Feldmann dos Santos, destacou que o 1º Sing Abend surgiu a partir da necessidade de promover um evento especial para a valorização do canto coral. “Muito obrigada a todos que abraçaram conosco esta ideia. Todos os cantores e cantoras têm sua parcela de contribuição e são importantes para a manutenção desta cultura em nosso Município. Parabéns a todos que integram e investem no canto coral”, desejou Mariani, acenando que o 1º Sing Abend já superou as expectativas da comissão organizadora e motiva a reedição.

Encerrando os pronunciamentos, o prefeito de Westfália, Otávio Landmeier, parabenizou a Associação Cultural Westfaliana pela promoção do 1º Sing Abend. “Penso que, além de acertarem em promover um evento especial para os nossos corais, acertaram na escolha do local, pois a Linha Frank foi a primeira localidade habitada pelos imigrantes, os quais, em sua bagagem cultural, trouxeram o canto coral. Então, parabéns pela iniciativa”, parabenizou o chefe do Executivo westfaliano.

Na sua fala, Landmeier também desejou vida longa aos corais westfalianos. “Parabéns a todos os regentes e coralistas que fazem o canto coral acontecer em Westfália. Esta é uma cultura importante e que deve ser preservada para sempre dentro das comunidades”, pontuou o prefeito. Ainda antes das apresentações dos corais, o pastor da Comunidade Evangélica Sião, de Linha Frank, Valmir Frank, deixou sua mensagem de fé, e a westfaliana Bruna von Mühlen, acompanhada pelo namorado Alex Pündrich no violão, apresentou uma canção à comunidade presente.

O Grupo Vocal de Westfália, formado por jovens estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Vila Schmidt, deu início às apresentações dos corais. Prosseguindo, 10 corais que representam localidades e entidades westfalianas apresentaram um canto cada à comunidade. Foram eles: Coro de Senhoras de Linha Frank, Sociedade de Cantores Aliança, Coro de Senhoras Rosa Branca, Coro Misto Silveira Martins, Coro de Senhoras Unidas Venceremos, Coro Misto Recreio, Coral da OASE de Linha Schmidt, Coro Misto Justiça, Coral da OASE Martha de Berlim e Coro Misto Aliança de Berlim.

Neste 1º Sing Abend, a participação especial foi do Grupo Vocal Novo Brilho, da cidade de Travesseiro. Regido por Paulo Roberto Haas, o coral encantou a todos através de apresentações dinâmicas, repletas de movimentos e energia. Para encerrar a programação, a comunidade ainda pode prestigiar a apresentação do Coral Municipal de Westfália, fundado em março de 2014 e que hoje conta com 17 integrantes.

O 1º Sing Abend foi uma realização da Associação Cultural Westfaliana, com apoio da Prefeitura Municipal de Westfália, por meio da Secretaria de Educação, Cultura, Turismo e Desporto (SMEC).

O canto coral

O canto marcava a vida do imigrante, do nascimento até a morte. Festas familiares eram celebradas com canto, música instrumental e danças. Por isso, os cantos são os principais traços culturais que sobreviveram entre os descendentes das primeiras levas imigratórias. O surgimento e o fortalecimento de sentimentos comunitários e, em consequência, de planos de realização coletiva nos povoados que se originaram nas regiões de imigração foram sempre intimamente relacionados com festas religiosas e cívicas. A vida associativa desenvolveu-se cedo nas comunidades de língua alemã. As atividades sociais das associações de tiro, de clubes, assim como de associações desportivas e recreativas representaram sempre boas ocasiões para apresentações musicais.

Nesse sentido, Westfália conta, hoje, com o coral mais antigo do interior do Rio Grande do Sul: trata-se da Sociedade de Cantores Aliança, de Linha Frank. Este grupo foi fundado em 7 de maio de 1877, com o nome Deutscher Sängerbund.

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui