Estudantes de Westfália são destaque na 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

1497
Crédito: Paloma Driemeyer Valandro / divulgação

Seis estudantes do 8º e 9º Ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental (EMEF) Vila Schmidt, do Centro de Westfália, foram reconhecidos com medalhas na 13ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) e 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Hoberdan Rodrigues Portela, Augusto Krabbe e Maykel Iury Ritter Welsbacher conquistaram o bronze ao construírem um foguete que atingiu uma distância de 146 metros. Nicole Beatris Stertz recebeu medalha de prata na prova escrita da 22ª OBA e Maísa Schneider Landmeier e Anna Gabriela Walker Winhelmann ficaram com o bronze.

- publicidade -

Para a professora Rosvita Bayer Ahlert, envolvida nos dois projetos, os resultados são motivo de orgulho e felicidade. “Agora é continuar com o trabalho, sempre com a expectativa de melhorar ano após ano. Julgamos relacionar a teoria à prática muito importante, desafiando o estudante a sair da sala de aula e mergulhar de cabeça no projeto. E isso foi mais uma vez possível”, enaltece ela.

O envolvimento da família nos projetos escolares é também imprescindível para alcançar resultados satisfatórios. “Um projeto só dá certo e rende bons resultados se a família se empenha. Isso esteve visível especialmente nos grupos que participaram da Mostra Brasileira de Foguetes. É um trabalho conjunto: escola, estudante e família. Neste ano, alcançamos excelentes resultados”, pontua Rosvita, parabenizando a todos os estudantes participantes por aceitarem o desafio.

Em Westfália, a 13ª Mostra Brasileira de Foguetes contou com auxílio dos professores Rosvita Bayer Ahlert, Elaine Kohl, Luana Possebon, Gustavo Sieben e Laudenor Brune. Já a 22ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica foi aplicada pela professora Rosvita Bayer Ahlert.

Mostra Brasileira de Foguetes

Hoberdan, Augusto e Maykel atingiram a marca de 146 metros de distância na Mostra Brasileira de Foguetes. Segundo Rosvita, no nível dos estudantes, para conseguir a medalha de ouro, era preciso alcançar mais de 186 metros de distância usando apenas água e ar comprimido.

O trio recebeu medalha de bronze na competição. “Contamos com a ajuda de pais e familiares para a construção dos foguetes. Foram diversos testes e alguns inclusive foram perdidos por não terem mais condições de utilização. O terceiro deu certo e atingimos esta grande marca”, explicam os estudantes.

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

A prova foi aplicada no mês de maio, nas dependências da EMEF Vila Schmidt. O resultado foi publicado no fim de outubro e três alunas westfalianas atingiram posições de destaque: Nicole Beatris Stertz, Maísa Schneider Landmeier e Anna Gabriela Walker Winhelmann.

“Foi uma prova de conhecimentos gerais. Lemos e nos dedicamos bastante, mas não esperávamos atingir tão boa colocação. Ficamos surpresas quando veio a notícia. Que mais colegas se motivem e participem numa próxima edição”, enaltecem.

- publicidade -