Estiagem: perdas na agricultura são estimadas em R$ 12,8 milhões em Estrela

Conforme a Secretaria da Agricultura, são dados preliminares, referentes à produção de milho e leite no município

156
Crédito da foto: Paulo Ricardo Schneider / Divulgação

As perdas decorrentes da estiagem no município de Estrela já são estimadas em R$ 12,8 milhões, considerando somente as lavouras de milho (silagem e grãos) e a queda na produção leiteira nos últimos 30 dias. A informação é do secretário da Agricultura, José Adão Braun. Ele ressalta tratar-se de dados preliminares, que ainda podem sofrer modificações. Na quinta-feira (09/01), Braun representou o município em reunião na Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), quando foi feita uma avaliação dos prejuízos no RS e discutidas, com o governo do Estado, alternativas para diminuir os danos, garantia de prazos e refinanciamentos da safra, pedido de agilidade para decretação de situação de emergência, rapidez na concessão de benefícios por parte dos governos estadual e federal, além de planejamento a longo prazo para enfrentar os problemas causados pela estiagem, que afeta a produção agrícola do Rio Grande do Sul. 

Conforme Braun, em relação à lavoura de milho, tanto para a produção de grãos quanto silagem, calcula-se perdas de 36% e 42%, respectivamente. A redução na produção deve chegar a 4.320 toneladas de grãos e 84.800 toneladas de silagem, o que representa mais de R$ 11,3 milhões. Na produção leiteira a queda é estimada em 30%. De uma média de 3.150.000 litros por mês, deve cair 30%, o que corresponde a 945 mil litros, chegando a R$ 1,5 milhão. De acordo com o extensionista rural da Emater/RS, médico veterinário Tiago Conrad,  há uma diminuição na produção leiteira nos dias de calor intenso e observa-se também, em função da falta de chuvas, queda na qualidade das pastagens e de produtividade devido ao déficit hídrico e altas temperaturas. 

O secretário da Agricultura acrescenta que devem ocorrer prejuízos em outras culturas, como a soja, que possui área de 1.300 hectares cultivados no município. Segundo ele, ainda não há uma estimativa em relação à soja. O município, conforme o secretário, analisa a possibilidade de decretar situação de emergência em função da estiagem, o que será definido nos próximos dias.

- publicidade -