Antiga moradora visita Centro de Cultura e Turismo de Estrela em que morou há mais de 40 anos

Caren Maria Lompa Guerra voltou ao Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann, onde passou dois anos de sua infância

810
Crédito: divulgação

O Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann recebeu uma visita especial na última semana. Uma antiga moradora do prédio, construído em 1925, se emocionou ao voltar ao local onde morou com os pais e o irmão, de 1972 a 1974. Hoje, o prédio histórico é onde funcionam a Secretaria de Cultura e Turismo (Secultur) e o Núcleo Cultural. Ela é Caren Maria Lompa Guerra (53), que atualmente mora em Montenegro.

Filha do então bancário Luiz Nory Lompa e Juemi da Silva Lompa, Caren voltou ao casarão após 46 anos, numa visita cheia de lembranças e saudade. “Amava esta cidade e esta casa. Estar aqui só traz coisas boas ”, contou Caren, que afirmava sentir o cheiro da época em que ali viveu a cada cômodo. Conforme ela, a visita a fez recordar de momentos da infância enquanto observava os detalhes do Centro de Cultura. O temporal que alagou a cozinha, o seu antigo quarto – que tinha uma sacada que ela adorava –, a sala espaçosa e o quarto dos pais e do irmão, entre tantos outros.

Caren mostrava-se feliz em saber que a casa foi preservada, somente com pequenas alterações na área interna. Na Secultur, Caren deixou uma antiga foto da época em que morou na casa. No registro, de 1974, estão ela, a mãe e o irmão Carlos na sacada. A fotografia foi repetida, agora, com o marido André Marcelo Guerra, que a acompanhou na visita.

Caren, que morou no local, com o marido, em frente ao Centro de Cultura / Crédito: Paulo Ricardo Schneider

Ao mesmo tempo, pessoas que fizeram parte da vida da família eram lembradas, como o ex-prefeito Oscar Kasper, que segundo ela, era grande amigo de seus pais, os colegas do pai no Banrisul e o Colégio Santo Antônio, onde estudou. A residência, conforme Caren, ficava no andar superior, pois no térreo funcionava a Exatoria Estadual.

Há quatro anos, Caren veio a Estrela para rever o local, mas como era domingo, não conseguiu entrar. “Hoje (13/03), vim especialmente para isso”, relatou. Na área externa, o antigo cipreste “é o mesmo”, disse Caren, o que valeu uma foto com a árvore ao fundo. “Meu pai e minha mãe sempre falavam de como gostavam de morar aqui”, finaliza.

- publicidade -