Westfália decreta situação de emergência causada pela estiagem

775
Em reunião, Conselho Municipal da Defesa Civil sugeriu, ao poder público, o decreto de emergência / Crédito: Paloma Driemeyer Valandro / divulgação

Além do incansável trabalho de conscientização e combate ao Coronavírus (COVID-19), com a implantação de dezenas de medidas preventivas nos últimos dias, o município de Westfália passa por outro momento difícil: a estiagem, que atinge, principalmente, a produção primária. Na segunda-feira (23/03)o, a municipalidade, preocupada com o cenário e as condições climáticas para os próximos dias e meses, decretou situação de emergência.

O documento foi publicado após sugestão do Conselho Municipal da Defesa Civil, que reuniu, de forma emergencial, seus conselheiros na área externa da Prefeitura. A comissão é formada por representantes do poder público, da Emater/RS-Ascar, das cooperativas, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Teutônia e Westfália, de órgãos de segurança e da imprensa.

O Decreto Municipal nº 013/2020 declara situação anormal provocada por estiagem e caracterizada como situação de emergência em toda a extensão do município de Westfália. Com validade de 180 dias, o documento considera que a situação afeta toda a extensão do Município, em especial o setor primário, interrompendo o abastecimento de água em várias propriedades, as quais são guarnecidas por nascentes e/ou poços artesianos, afetando a agricultura e a pecuária.

A produção primária apresenta sérios e substanciais prejuízos, os quais podem ser agravados caso a situação de estiagem permaneça. O fato de que na primavera, em especial nos meses de setembro, outubro e primeira quinzena de novembro, período de preparo das lavouras e pastagens, tenham ocorrido seguidas precipitações com altos volumes é um agravante a mais, fazendo com que muitas áreas não pudessem ser preparadas de forma adequada para o cultivo.

O secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Élcio José Lupatini, reforça que, neste momento, o Município passa por um momento delicado. “Sem dúvidas, a produção das nossas propriedades rurais já foi afetada. Isso irá impactar, de forma negativa, na economia westfaliana. Estamos ao lado dos nossos produtores e jamais os deixaremos desassistidos. Contem conosco para o que for preciso”, pondera o secretário.

O prefeito de Westfália, Otávio Landmeier, ressalta que este é momento de unir forças. “Nossa agricultura já sofre muito com esta estiagem. Mas, o que também nos preocupa são as condições climáticas para os próximos dias e meses. É momento de unir forças e, juntos, não tenho dúvidas que iremos vencer mais este momento difícil”, enaltece o chefe do Poder Executivo, colocando-se à disposição da comunidade westfaliana para auxiliar em situações adversas.

Prejuízos

Junto ao Decreto Municipal nº 013, de 23 de março de 2020, está anexado um levantamento de perdas do município de Westfália, desenvolvido pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e Emater/RS-Ascar. Nele, consta uma projeção das perdas que o município terá por setor:

– Cultura do milho modalidade grãos: área de 150 hectares implantada com produtividade estimada em 7.200 kg/há. Pela estiagem, redução de estimados 40% na produtividade, representando um prejuízo aproximado de R$ 324.000,00;

– Cultura do milho modalidade silagem: área de 950 hectares implantada com produtividade estimada de 45 toneladas por hectare. Com os efeitos da estiagem, redução de estimados 35% na produtividade, representando um prejuízo aproximado de R$ 2.992.500,00. Esta situação refletirá em forte acréscimo do custo de produção na atividade leiteira em médio prazo, com prejuízos de aproximadamente R$ 5.200.000,00;

– Cultura da soja: área de 50 hectares implantada com produtividade estimada na ordem de 3.000 kg/há. Com os efeitos da estiagem, redução de estimados 40% na produtividade, representando um prejuízo na ordem de R$ 90.000,00;

– Bovinocultura de leite: atividade desenvolvida em 352 estabelecimentos rurais que amarga uma redução na produtividade, a partir de meados de dezembro de 2019 até os dias atuais, na ordem de 10%, representando um prejuízo acumulado de aproximadamente R$ 949.800,00. Estima-se um incremento no custo de produção desta atividade de 35%;

– Avicultura de corte: nesta atividade, há 122 propriedades rurais envolvidas e pode-se afirmar que em 30% delas há problemas de abastecimento de água;

– Suinocultura de corte: atividade desenvolvida em 83 propriedades rurais. Estima-se que em 35% dos produtores há problemas de abastecimento de água.

*nos dois últimos setores citados, há manifestação das empresas integradoras no sentido de evitar o alojamento de aves e suínos em propriedades que não tenham condições de atender hidricamente os planteis. A situação gera aflição aos produtores em razão dos compromissos financeiros assumidos.

Falta de água

A falta de água tem sido motivo de grande preocupação das autoridades municipais desde o início deste ano. Diariamente, várias cargas d’água são encaminhadas às propriedades rurais e associações comunitárias de água, especialmente do interior, por caminhões-pipa. A Cooperativa Languiru também está apoiando seus integrados com o abastecimento de água. Em razão das altas temperaturas, o consumo de água é ainda mais elevado nesta época para refrescar ambientes, principalmente onde há suinocultura e avicultura.

Para dimensionar o tamanho da escassez, lembra-se que, em parceria com a Emater/RS-Ascar, o município de Westfália desenvolve o Programa de Proteção de Nascentes. No total, já foram conservadas 283 vertentes, as quais têm a água da superfície utilizada para o desenvolvimento das mais diversas atividades na propriedade. Juntas, elas produzem em torno de 2.233.585 litros de água por dia (esse número não corresponde às épocas de estiagem): 172.300 litros na região baixa – Linha Schmidt e Linha Frank – e 2.061.285 litros na região alta – Linha Berlim e Linha Paissandu.

Atualmente, essas vertentes diminuíram a vazão, em razão da falta de chuvas, e alguns poços também estão sem água. Este cenário é ainda mais visível na região alta do Município. “Incansavelmente, estamos nos dedicando para garantir que não falte água nas propriedades e que, nestas, não hajam prejuízos. Contamos com o apoio da comunidade no sentido de economizar água no dia a dia, tendo em vista evitar que o cenário piore e que mais residências sejam atingidas”, pontua o prefeito.

- publicidade -