BM encerrou 28 festas clandestinas neste fim de semana no Estado

495
Em Pelotas, na localidade de Sanga Funda, policiais e fiscais municipais encerraram rave com 50 pessoas - Foto: Divulgação BM

As forças da segurança pública estadual estão nas ruas atentas ao cumprimento de decretos do governo que proíbem aglomerações. Da quarta-feira (25/2) até ontem (7/3), foram 133 festas clandestinas encerradas em todo o estado. Foram 21 no sábado (6/3) e sete no domingo, além de 105 nos demais dias.

Na tarde deste domingo (7/3), às 15h35min, o painel de monitoramento de leitos do Estado apontava 3.094 pacientes em UTI (por Covid-19, principalmente), o que significava 103% da capacidade atual, de 3.005 leitos. Mesmo diante desse quadro de colapso do sistema de saúde, houve 3.302 denúncias de festas no estado e 3.545 locais fiscalizados neste período de 11 dias.

Ontem, houve registro de sete festas clandestinas desmobilizadas em Flores da Cunha, Marques de Souza, Pelotas, Porto Alegre, Sapucaia do Sul (2) e Venâncio Aires. Ao todo, no período, 91 pessoas foram detidas por descumprimento das medidas preventivas e outras 21.980 foram abordadas para orientação.

Nos demais dias, a Brigada Militar (BM) contabilizou ações para desmobilizar eventos irregulares em Alvorada, Ametista do Sul, Boa Vista das Missões, Caçapava do Sul, Cachoeirinha, Capela São Valentim, Constantina, Jaguarão, Marques de Souza, Pelotas, Piratini, Santa Rosa, Sapucaia do Sul, Uruguaiana e Venâncio Aires.

Só em Cachoeirinha, foram registradas duas ocorrências de festa clandestina que reuniam 248 pessoas ao todo. Em Pelotas, foram flagrados outros dois eventos ilegais com um total de 113 pessoas descumprindo a medida sanitária para frear a disseminação da Covid-19. Na localidade de Sanga Funda, guarnições da BM, da Polícia Civil, da Guarda Municipal e Agentes de Trânsito de Pelotas depararam com uma rave com 50 pessoas. Foi confeccionado termo circunstanciado por infração do artigo 268 do Código Penal – infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa – e por perturbação do sossego. No local, ainda houve a autuação de nove veículos em desacordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e a apreensão de caixas de som e equipamentos eletrônicos. Em outra rave, no Laranjal, além do recolhimento de itens de sonorização, também foi encontrado um simulacro de arma.

Em Uruguaiana, a partir de uma denúncia via telefone, equipes da Ronda Ostensiva Municipal Urbana (Romu), da BM e da Polícia Civil flagraram uma festa clandestina no interior do município, na localidade do Itapitocai, a 15 quilômetros do centro da cidade. Pelo menos 20 pessoas entre crianças e adultos encontravam-se no local sem o uso de máscaras faciais de proteção e promovendo aglomeração. Além do registro para posterior representação criminal por parte do Ministério Público, o proprietário da residência foi multado administrativamente pela fiscalização em R$ 10,4 mil.

Desde o início da Operação Te Cuida RS, em 25 de fevereiro, com o lançamento do protocolo integrado de fiscalizações entre as forças de segurança do Estado e autoridades municipais, já foram encerradas 126 festas clandestinas. Além disso, 3.279 locais foram fiscalizados (324 apenas no sábado, dia 6) para verificação do cumprimento das determinações previstas para a bandeira preta, bem como da vedação de funcionamento de atividades entre 20h e 5h.

Nessas ações, foi necessária a condução a delegacias de polícia de 87 pessoas para registro de infração das medidas sanitárias desde o início da ofensiva. Em todo o período, a Operação Te Cuida RS já realizou a abordagem de 20.640 pessoas para orientação sobre as restrições neste que é o pior momento da pandemia no RS.

- publicidade -