45 escolas participam da 23ª Olimpíada Matemática da Univates

Provas foram aplicadas nas escolas participantes

- Publicidade -spot_imgspot_img

Estudantes da Educação Básica de 45 escolas, de 22 municípios, participaram da 23ª edição da Olimpíada Matemática da Univates (OMU), realizada na tarde desta quarta-feira (24/11). Neste ano, a atividade adotou uma nova configuração e as provas foram aplicadas nas escolas participantes, diferentemente das edições anteriores, nas quais estudantes de dezenas de municípios do Estado se deslocavam à Universidade. Em 2020, em razão da pandemia, a OMU não foi realizada.

Uma das escolas participantes com alunos do 5º ao 9º ano foi a Escola Municipal Princesa Isabel, de Arroio do Meio. De acordo com a professora Ana Paula Dick, os alunos estavam aguardando ansiosamente, já estavam comentando toda a semana sobre a olimpíada. “Durante as aulas de matemática, sempre incorporo alguns desafios das olimpíadas das edições passadas. A olimpíada é um incentivo para os alunos, especialmente os que adoram Matemática. Gosto da OMU porque os alunos realizam a prova em duplas, propiciando a troca de ideias e o aprendizado entre os próprios colegas”, acredita ela. 

A prova foi única e conteve 10 questões, sendo três objetivas e o restante subjetivas. Os alunos do Ensino Fundamental até o 1º ano do Ensino Médio puderam responder a apenas oito questões. Já os estudantes do 2º ano do Ensino Médio tiveram que responder a nove perguntas e os do 3º ano do Ensino Médio precisaram responder às 10 questões. A prova pôde ser respondida individualmente ou em dupla. Para o processo de avaliação foi considerado o desenvolvimento das questões.

Saiba mais 

A Olimpíada Matemática da Univates (OMU) tem o objetivo de desenvolver o raciocínio lógico, explorar a criatividade e fomentar o uso de diferentes estratégias para resolver problemas matemáticos. O evento integra o projeto de extensão “Olimpíada Matemática da Univates: fomentando o raciocínio lógico”. Para a coordenadora do projeto, professora Marli Teresinha Quartieri, a prova estimula a interpretação das questões, não apenas o cálculo. “Nosso principal objetivo é trabalhar com problemas, não somente com situações envolvendo fórmulas, por isso nossas questões têm diversas formas de resolução”, afirma.

- Publicidade -

MAIS

- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui