Languiru realiza reunião-almoço com produtores de leite

- Publicidade -spot_imgspot_img

No dia 23 de junho ocorreu nova edição de reunião-almoço da Languiru com o quadro social. Realizado na Associação dos Funcionários, em Teutônia, o encontro reuniu associados da cadeia leiteira e contou com a participação de aproximadamente 330 pessoas, inclusive produtores vindos de outras regiões do Estado onde a Languiru atua.

O evento foi conduzido pelo presidente Dirceu Bayer, que apresentou números e investimentos, e falou do bom momento para a produção leiteira. “Já vínhamos projetando que esse seria o ano do leite, e a lei da oferta e da procura nos mostra o cenário favorável para a cadeia produtiva. Fazemos o possível para atender as necessidades dos nossos produtores, nos diferentes segmentos, isso é a essência do cooperativismo colocada em prática pela Languiru. O segmento leite conta com o maior número de associados, e a expressiva participação neste evento demonstra o apoio à Languiru”, avalia.

Investimentos

O presidente comentou sobre a ampliação e diversificação do mix de produtos, especialmente no segmento das carnes; falou do projeto de construção da queijaria junto à Indústria de Laticínios, em Teutônia; da instalação de Agrocenter em Rio Pardo e de supermercado e Agrocenter em Westfália. “Precisamos evoluir e esses investimentos são importantes para superarmos o momento adverso. É preciso acompanhar as evoluções impostas pelo mercado consumidor”, exemplificou, projetando o retorno desses investimentos já em 2022 e, principalmente, no exercício de 2023.

Pró-Leite

O gerente de fomento do Setor de Leite, Mauro Aschebrock, detalhou benefícios financeiros oportunizados pelo Programa Pró-Leite, iniciativa da Cooperativa que bonifica o produtor a partir de diferentes critérios. “A Languiru paga para que o produtor rural cresça, oportuniza assistência técnica e incentiva o aumento da produção. Todo aumento de produtividade gera volume para a Indústria de Laticínios e, consequentemente, ganhos ao produtor. É uma maneira de profissionalizar a produção leiteira, com um programa de incentivo flexível que recebe melhorias a partir de sugestões e novas oportunidades do segmento”, frisou, alertando para o risco de drástica redução dos volumes de produção a nível mundial em virtude dos altos custos.

Bayer valorizou o espaço democrático para colocações dos associados. “A Languiru está aberta às opiniões dos seus associados e essas reuniões-almoço terão continuidade com os diferentes segmentos produtivos. No caso do Pró-Leite, por exemplo, ouvindo o associado qualificamos ainda mais o programa, juntos criamos novas possibilidades”.

- Publicidade -

MAIS

- Publicidade -
- Publicidade -

Notícias relacionadas

- Publicidade -