Delegado avalia homicídio de advogado ocorrido ontem em Lajeado

Situação teria ocorrido após discussão durante reunião de condomínio no Bairro Centro.

1032
Diversas armas foram encontradas dentro do apartamento do criminoso. Créditos: Camille Lenz da Silva

Em reunião com a imprensa regional na tarde desta quarta-feira (25/1), o delegado titular da Polícia Civil de Lajeado, Márcio Moreno, apresentou detalhes da investigações dos dois homicídios que ocorreram entre a noite desta terça e a manhã de hoje no município.

Um deles foi a prisão de um indivíduo de 23 anos no início da noite de ontem (24/1) no Bairro Hidráulica, em Lajeado, após a Brigada Militar receber ligação de populares relatando que o indivíduo desferiu um golpe com canivete no peito de outro homem, de 45 anos. O fato ocorreu durante reunião de condomínio no pátio do prédio onde o criminoso mora, na Rua Bento Gonçalves, Centro.

Conforme o delegado titular, o crime foi classificado como homicídio doloso consumado e qualificado por motivo fútil. A vítima de 45 anos, um advogado reconhecido como Tadeu Pavoni, foi encaminhada pelos próprios vizinhos ao Hospital Bruno Born (HBB), mas não resistiu aos ferimentos e morreu às 3h30 desta quarta-feira (25/1).

O jovem teve prisão preventiva decretada e foi encaminhado para o Presídio Estadual de Lajeado.

Como começou

Segundo Moreno, dados preliminares dão conta de que o crime que vitimou o advogado teve início durante a reunião de condomínio, da qual o criminoso não estava participando diretamente. “Acreditando que estavam falando a respeito dele, utilizou uma besta (arco e flecha) para efetuar cerca de dois disparos do seu apartamento em direção a 10 pessoas que estavam na reunião. Após, foi ao encontro dos condôminos, quando começou a discutir com a vítima e efetuou golpes de arma branca contra o mesmo”.

Após cometer o crime, o jovem fugiu do local, sendo alcançado pelos policiais militares algumas quadras depois, quando tentava pular o muro de uma residência no Bairro Hidráulica. Com ele, os policiais localizaram o canivete sujo de sangue. A besta utilizada para atirar a flecha nos inquilinos estava na janela de sua residência. Além disso, foram encontrados na casa do autor um simulacro de pistola, um facão e oito flechas.

Moreno pontuou que, pelo histórico do investigado, ainda são necessárias várias diligências e não se descarta doença mental. “Pelo estágio inicial da investigação, ainda não há como afirmar, mas alguns elementos indicam que essa verificação poderá ser feita”, comenta.

Ainda segundo o delegado, o indivíduo possui histórico de desavenças com os vizinhos e tem passagem pela polícia: “mas nada relevante”, complementa.

Os moradores do prédio devem ser ouvidos com mais calma durante esta semana. “Além de terem sofrido o atentado com a besta, presenciaram a situação que vitimou o advogado e o encaminharam para o hospital. Precisamos respeitar o momento de luto das pessoas”, sinaliza Moreno.

A produção da prova pericial já foi realizada e encaminhada para inquérito. Os instrumentos do crime foram encaminhados para perícia e a polícia aguarda depoimentos e provas complementares.

O segundo caso apresentado pelo delegado envolveu a morte de um homem de 28 anos, natural de Roca Sales e integrante do sistema semiaberto do Presídio Estadual de Lajeado.

A vítima

Durante o atendimento no hospital, foi encontrada na cintura de Pavoni uma pistola Taurus calibre .380 contendo 16 munições intactas (à esquerda da foto, envoltas em sacos plásticos), que foi apreendida pela Brigada Militar. Segundo o delegado, a vítima possuía registro, certificação e posse da arma em questão.

Conforme nota de pesar divulgada pela Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Lajeado, Tadeu era membro do Tribunal de Ética da OAB, Seccional do Rio Grande do Sul, tendo atuado como Conselheiro e Secretário Geral da Subseção em diretorias passadas. O advogado deixa esposa e duas filhas.

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui