Combate a Dengue terá nova ação em Estrela

Está programada para a próxima semana mais um Levantamento de Índice Rápido de Infestação (Lira) pelo Aedes aegypti

239
Agentes coletam amostras de larvas encontradas em água parada / Crédito da foto: Divulgação

A Vigilância Ambiental de Estrela irá realizar, na próxima semana, mais um Levantamento de Índice Rápido de Infestação (Lira) pelo Aedes aegypti, o mosquito transmissor da Dengue. Será o terceiro dos quatro programados para o ano. A princípio a partir de segunda-feira (12/08), a equipe especializada da Vigilância e também Agentes Comunitários de Saúde irão visitar todos os bairros da cidade na busca e identificação de possíveis focos com larvas do mosquito transmissor da doença. Trata-se de trabalho já de prevenção visando principalmente as épocas mais quentes como o verão, com condições ainda mais favoráveis para a proliferação dos mosquito e a transmissão da doença. Paralelamente, seguem as visitas de rotinas dos agentes aos bairros e comunidades do município realizadas ao longo de todo o ano.

No Lira, os profissionais realizaram uma visita surpresa a residências de quarteirões sorteados de todos os bairros urbanos da cidade. Na ação, são coletadas amostras de larvas encontradas em água parada. Conforme explica a coordenadora da Vigilância, Carmen Hentschke, o trabalho é muito importante mas precisa contar com a colaboração da população. “Já realizamos um sorteio dos bairros e quarteirões que serão visitados no respectivo dia, mas não avisamos onde estaremos, para justamente evitar que as pessoas façam uma possível limpeza de última hora em suas residências. Estas temem que sejam encontradas possíveis focos e receosas de que vão ser punidas ou algo assim por isso. Não, trata-se apenas de um trabalho de prevenção”, diz. “Pedimos por isso que facilitem o acesso dos agentes, estes estarão devidamente identificados”.

Nos dois primeiros Liras do ano, situações distintas foram encontradas. Em fevereiro, das amostras coletadas, 68 foram encaminhadas ao laboratório da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) do Estado para análise das larvas e identificação da espécie. Destas, seis deram resultado positivo ao Aedes aegypti. Em maio, das 66 amostras encaminhadas, trinta e cinco foram identificadas, mas apenas para o mosquito Aedes albopictus, uma espécie muita parecida a do Aedes, que se cria em condições e ambientes muito parecidos ao do aegypti. Em Estrela houve registro no ano de apenas um caso da doença, mas considerada “importada”, ou seja, não contraída no município. Tratou-se de um morador que visitou a Paraíba a trabalho, onde começou a ter os sintomas. Mais informações pelo telefone 3981-1136.