Prefeitura de Teutônia esclarece polêmica sobre primeira morte por Covid-19

5173
Hospital Ouro Branco, em Teutônia / Crédito: Júlia Caroline Geib

A prefeitura de Teutônia divulgou uma nota na manhã desta segunda-feira (29/06) realizando esclarecimentos sobre o primeiro óbito por Coronavírus no município. Conforme a nota, na certidão de óbito da paciente não consta Covid-19 porque o resultado do exame do Lacen chegou um dia depois do óbito. Só após a chegada do resultado, que o caso foi divulgado no boletim oficial da prefeitura como morte por Covid-19.

O óbito foi de uma mulher de 83 anos e aconteceu na noite de sexta-feira (26/06). Até este momento, ela ainda era considerada suspeita de portar o vírus, posto que se aguardava a chegada do exame do Lacen, que comprovou o diagnóstico na tarde de sábado (27/06). Conforme a nota, a paciente tinha histórico de hipertensão e estava internada no Hospital Ouro Branco com pneumonia. “Por ter familiares confirmados com novo coronavírus (Covid-19), seguindo os protocolos do Ministério da Saúde, no dia 25 de junho foi realizada a coleta de material para o exame PCR, processado pelo Laboratório Central (Lacen) de Porto Alegre”, esclarece a nota.

O resultado do exame PCR (considerado padrão-ouro no diagnóstico de Covid-19 pelos órgãos de saúde), confirmou que a paciente estava com Covid-19. Ele somente veio para o Município no início da tarde de sábado (27/06), um dia após o óbito da paciente. Por isso, na certidão de óbito da paciente, não consta Covid-19, pois ainda não se tinha o resultado do PCR. Vale ressaltar que, até então, o caso ainda não era divulgado como morte por Covid-19.

Neste meio tempo, a certidão de óbito foi publicada em redes sociais no final de semana, e gerou polêmica por não constar Covid-19 como causa da morte, e por isso, a prefeitura justifica essa questão. “A divulgação do óbito da paciente no boletim epidemiológico de sábado partiu de orientação do Estado, que contabilizou o mesmo no painel oficial neste domingo, dia 28”, acrescenta a nota. Ainda, a prefeitura esclarece que “foram seguidos os protocolos pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde. E diante da altíssima taxa de confiabilidade do exame PCR e conforme o Lacen, é correto afirmar que a paciente faleceu com Covid-19”.

Conforme o médico Humberto de Alencar Oliveira da Costa, integrante do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus em Teutônia, a paciente tinha duas patologias concomitantes que contribuíram para o óbito: pneumonia e Covid-19. “Uma agravou a outra e vice-versa. Para o Estado, contabilizou como sendo óbito por Coronavírus”, destaca o médico. “Confesso a vocês que estou muito sentido com a repercussão e os termos usados contra o hospital. Então precisamos nos unir e juntos buscarmos soluções para vencermos essa batalha tão difícil do coronavírus e da desinformação”, conclui ele.

Também cabe esclarecer que a definição dos valores destinados pelo Ministério da Saúde para ações de enfrentamento à pandemia não toma como base o número de pacientes infectados ou mortos. Portanto, tanto Município quanto Hospital não recebem recursos em cima de óbitos de pessoas com Covid-19.

Confira a nota na íntegra:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO – ÓBITO DE PACIENTE COM COVID-19

Sobre o óbito de uma mulher de 83 anos com Covid-19, ocorrido no início da noite de sexta-feira, dia 26 de julho:

  1. A Prefeitura de Teutônia e o Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus, em primeiro lugar, lamentam e se solidarizam com a família neste momento de dor, de perda de um ente querido;
  2. A paciente, que tem histórico de hipertensão, estava internada no Hospital Ouro Branco com pneumonia. Por ter familiares confirmados com novo coronavírus (Covid-19), seguindo os protocolos do Ministério da Saúde, no dia 25 de junho foi realizada a coleta de material para o exame PCR, processado pelo Laboratório Central (Lacen) de Porto Alegre;
  3. O resultado do exame PCR (considerado padrão-ouro no diagnóstico de Covid-19 pelos órgãos de saúde), que confirmou que a paciente estava com Covid-19, somente veio para o Município no início da tarde de sábado, dia 27, um dia após o óbito da paciente;
  4. A certidão de óbito publicada em redes sociais no final de semana não consta Covid-19 como causa da morte, pois ainda não se tinha o resultado do exame PCR. No entanto, já se suspeitava que a paciente estava com Covid, o que foi confirmado pelo exame PCR;
  5. A divulgação do óbito da paciente no boletim epidemiológico de sábado, partiu de orientação do Estado, que contabilizou o mesmo no painel oficial neste domingo, dia 28;
  6. Foram seguidos os protocolos pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde. E diante da altíssima taxa de confiabilidade do exame PCR e conforme o Lacen, é correto afirmar que a paciente faleceu com Covid-19;
  7. Também cabe esclarecer que a definição dos valores destinados pelo Ministério da Saúde para ações de enfrentamento à pandemia não toma como base o número de pacientes infectados ou mortos. Portanto, tanto Município quanto Hospital não recebem recursos em cima de óbitos de pessoas com Covid-19.

Teutônia, 29 de junho de 2020
Prefeitura de Teutônia
Comitê Municipal de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus”

- publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva seu comentário!
Digite seu nome aqui